GlossárioInvestimentos

Tipos de ordens no mercado de ações e como funcionam

Saiba o que é uma ordem no mercado de ações e quais são os principais tipos de ordens que existem. Confira cenários em que cada ordem é indicada.

Entender o que é uma ordem e quais os tipos de ordens que existem é fundamental para operar na Bolsa de Valores. Isso vale para qualquer tipo de ativo, não só na compra e venda de ações. Afinal, você precisará fazer ordem de compra ou venda em qualquer negociação que venha a realizar.

Neste guia, explicamos o que é ordem de compra e venda no mercado de ações e listamos os principais tipos existentes. Assim, você estará pronto(a) para empregar a ordem mais adequada a cada situação.

O que é uma ordem

Uma ordem, no mercado de ações, é uma instrução para que se realize a compra/venda de um ativo. As ordens são empregadas na negociação de ações, derivativos, contratos futuros e muitos outros tipos de ativos.

Em geral, as ordens são enviadas pelo investidor para a corretora, que então realiza a operação junto à Bolsa de Valores (no caso do Brasil, falamos especificamente da B3). Antigamente, as ordens eram dadas por telefone ou por outros meios disponíveis. No entanto, hoje em dia, passaram a ser submetidas por meio de plataformas de home broker, que tornam tudo mais rápido e ágil.

Ordem de compra

As ordens de compra são feitas pelo cliente para que a corretora de valores realize a aquisição de um determinado ativo. Uma ordem de compra pode incluir diversas especificações ao gosto do cliente, que a corretora deve registrar ao submetê-la à B3.

Ordem de venda

Analogamente, uma ordem de venda é feita pelo cliente com o intuito de orientar a corretora a vender um ativo de sua carteira. Normalmente, as ordens de venda oferecem menos opções para o cliente, em comparação com as ordens de compra.

Tipos de ordens na Bolsa

As ordens de compra/venda na Bolsa de Valores têm diversos formatos. Dominá-los é fundamental para realizar operações certeiras. Confira a seguir os tipos mais comuns:

Ordem a mercado

A ordem a mercado é a mais simples e prática de realizar. Neste caso, você indica à corretora qual ativo deseja negociar e em qual quantidade, mas deixa o preço em aberto. Assim, você paga ou recebe o valor conforme as condições de mercado.

Ordem limitada

Ao fazer uma ordem limitada, o trader indica o ativo e a quantidade a negociar, mas também coloca um limite superior/inferior de preço para a compra/venda do ativo. Assim, tem a garantia de que não pagará ou receberá um valor indesejado. A ordem só será executada se o preço estiver dentro dos limites estabelecidos pelo investidor.

Ordem casada

Com a ordem casada, você pode definir em um só pedido que operações de compra e venda ocorram de modo simultâneo. Ou seja, uma delas só pode ocorrer sob a condição de que a outra também seja realizada. Essa ordem é muito usada por quem faz trocas de posições na bolsa.

Ordem de stop loss

A ordem stop loss define que uma ação (ou outro ativo) será vendida caso o seu preço de mercado caia abaixo de um patamar definido pelo trader. Essa ordem, também conhecida como ordem limitada, protege o investidor de perdas maiores com um “preço de disparo”.

Ordem de stop móvel

O stop móvel é semelhante à ordem de stop loss. No entanto, neste caso, você define que a ação (ou outro ativo) será vendida se o seu preço tiver uma queda significativa dentro da sua trajetória, e não em relação ao preço inicial. Dessa forma, o investidor tenta proteger eventuais ganhos antes que o preço volte a baixar.

Ordem stop gain

A ordem stop gain funciona de modo análogo ao stop loss. Neste caso, o trader define um limite superior para “realizar” o lucro com o aumento do preço de sua ação. Ou seja, se a ação atingir determinado nível definido pelo investidor, é automaticamente vendida.

Ordem stop simultâneo

Com o stop simultâneo, você pode configurar na mesma ordem níveis para stop loss e stop gain. Ou seja, você define níveis específicos de proteção contra eventuais perdas e para realizar lucros com uma ação.

Ordem start

A ordem start é usada como opção de compra. Com ela, você pode definir um nível no qual a corretora deverá comprar automaticamente a ação ou outro ativo desejado. Assim, você tem a certeza de que entrará apenas na posição desejada.

Ordem discricionária

A ordem discricionária é uma ordem que independe da ação do investidor/cliente. Neste caso, você dá liberdade para um agente tomar decisões em seu nome no mercado financeiro. Assim, o operador decide quando e como comprar/vender ativos com o objetivo de atingir os objetivos pré-definidos.

Tipos de ordens conforme a validade

As ordens também variam de acordo com a validade estabelecida para elas. Ou seja, você pode definir prazos dentro dos quais eles terão efeito.

A seguir, listamos os tipos mais comuns de ordens conforme a validade.

Ordem válida para o dia

Neste caso, a ordem só tem efeito no mesmo dia em que foi criada. Se, por exemplo, você definir uma ordem start válida apenas para o dia, a corretora não comprará a ação no nível indicado caso ele seja atingido no dia seguinte.

Ordem válida até uma data específica

A data de validade, neste tipo de ordem, é definida pelo próprio trader. Ou seja, você tem liberdade, neste caso, para indicar por quanto tempo a ordem terá efeito. Pode ser tanto uma semana quanto um mês ou qualquer intervalo de sua preferência.

Ordem válida até o cancelamento

Em mais um caso autoexplicativo, esta ordem só perde a validade após seu cancelamento por parte do trader. Ou seja, você deve estar atento(a) para não esquecê-la ativada.

Tudo ou nada

No caso da ordem do tipo Tudo ou Nada, você define parâmetros específicos, como o preço e a quantidade de ações desejadas, e a operação só é realizada se essas condições forem integralmente e imediatamente atendidas. Caso contrário, a ordem é cancelada.

Execute ou cancele

Com este tipo de ordem, a operação é realizada para a quantidade disponível de ações desejadas. Caso haja apenas uma parte do total de papéis desejados, a corretora compra o que houver e cancela o restante da ordem.

Ordens mais comuns no day trade

Como as operações de day trade são realizadas sempre em um mesmo dia, é normal que os day traders tenham preferência por ordens que favoreçam e protejam suas negociações no curtíssimo prazo.

Nesse sentido, há uma predileção pelas ordens com stop loss e stop gain. Elas ajudam o day trader a proteger ganhos com oscilações rápidas e a proteger-se de eventuais perdas pelo mesmo motivo. Pelo mesmo motivo, é comum que sejam usados o stop móvel e o stop simultâneo.

Ordens mais comuns para longo prazo

Diferentemente do day trader, os investidores de longo prazo não têm tanta preocupação com oscilações de curto prazo. Por isso, não sentem a mesma necessidade de configurar ordens de stop loss, stop gain, stop móvel ou simultâneo.

Os investidores de longo prazo esperam lucrar com um movimento sustentado e significativo do ativo desejado. Desse modo, uma diferença pequena no valor de compra ou venda do ativo não terá o mesmo impacto em seu negócio. A simplicidade de uma ordem a mercado é mais que suficiente para esse perfil de investidor.

Como escolher o tipo certo de ordem

Não existe um tipo ideal de ordem que seja o melhor em todas as situações. A escolha da ordem deve ser baseada na sua estratégia de investimento e nas condições que o mercado impõe dentro do horizonte de negociação vislumbrado.

Já demos algumas pistas que podem ajudá-lo a ter uma noção geral do que é melhor em cada caso. Se você pretende investir no curtíssimo prazo (day trade), o uso de stops é importante porque proporciona maior segurança para suas operações. Já se você se considera um investidor de longo prazo, ordens a mercado podem ser suficientes.

Image

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detected

Por favor, desactivar o ADblock. Caso contrário, não poderemos mostrar toda a beleza do conteúdo desta página.