FerramentasInvestimentosOpções BináriasSinais

Opções Binárias: análise gráfica com velas japoneses

As velas japonesas nasceram no Japão (como o nome indica) ainda no século XVIII, sendo originalmente usadas para a previsão dos preços do arroz. Elas são elementos gráficos usados ​​na economia para visualizar uma tendência de forma alternativa e mais informativa que gráficos normais em barra ou em linha. Com elas, é possível ter acesso a interpretações que seriam impossíveis de traçar com o simples estudo do gráfico de preço em formatos mais tradicionais.

Existem quatro aspectos que são aplicados ​​na construção do gráfico de velas, a saber: os valores dos preços nas fases de abertura e fechamento do mercado e os valores máximo e mínimo num determinado período. A diferença entre preços de abertura/fechamento é representada pelas oscilações no tamanho do corpo de cada vela, enquanto as sombras superior e inferior representam mínimos e máximos relativos.

Os tipos mais conhecidos de velas japonesas são para períodos longos, nos quais existe uma lacuna entre preços de abertura/fechamento (depois de aumento ou perda significativa de valor) e para períodos curtos, que, pelo contrário, têm preços de abertura/fechamento do mercado muito semelhantes. Finalmente, existem as velas curtas, que surgem nos momentos de maior exposição do mercado, havendo maior possibilidade de reversões de tendência (com altas e baixas não tão desprezíveis) no curto prazo.

Negociação de binárias com velas japonesas

Por ser uma ferramenta importante para previsão, usada por dois séculos com constantes melhorias (e adaptações conforme os diferentes mercados), não é difícil perceber como o tema das velas japonesas rapidamente assumiu um papel destacado no negócio de binárias. O que veremos agora são os conceitos mais relevantes que o trader deve dominar para interpretar bem as velas japonesas durante sessões de negociação binária, caso use esse gráfico específico em sua plataforma.

Numa plataforma de negociação, você primeiro terá que definir a frequência para definição de cada vela, geralmente um intervalo relacionado ao prazo das binárias com as quais se está negociando. Pode ser de 1 a 5 minutos, por exemplo, mas quem deseja especular em binárias de 30 a 60 segundos tende a optar por frequências ainda mais reduzidas.

Conforme seus conceitos mais gerais, você notará que um gráfico normalmente exibe velas brancas (ou verdes, em alguns casos) e pretas (ou vermelhas, no padrão alternativo). No primeiro caso, com velas brancas ou verdes, a cor indica que o preço de fechamento está maior em relação ao valor na fase de abertura. Da mesma forma, se o preço tiver caído, as velas se apresentam na cor preta (ou vermelha).

Como você notou nas interpretações que acabamos de descrever para cada cor, as corretoras de binárias usam velas japonesas com o objetivo de fazer o usuário entender as mudanças do mercado mais facilmente e de forma rápida. Assim, beneficiam os usuários que desejam (como devem, normalmente) operar com velocidade máxima, num mercado que requer intervenções rápidas e bem fundamentadas. As velas indicam muito mais do que ocorreu dentro de um período, possibilitando ao trader avaliar de forma mais aprofundada o comportamento do mercado.

Sinais baseados em velas

Os sinais mais frequentes baseados em velas japonesas em binárias são o Dark Cloud Cover e o Piercing. O primeiro caso ocorre quando uma vela verde é seguida por uma vela vermelha com características particulares: ela ultrapassa o corpo da vela anterior pelo menos pela metade, fornecendo ao investidor um sinal significativo para baixo.

Exatamente o contrário ocorre quando falamos do padrão Piercing, que se segue a uma perda no valor do ativo. Uma representação de velas japonesas com uma vela vermelha seguida por uma vela de recuperação verde, que excede em pelo menos 50% o corpo da vela anterior, dá um sinal significativo de reforço da alta no preço.

Ads

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo