Corretoras de CriptomoedasCorretoresCriptomoedasInvestimentos

EUA apreendem US$ 24 milhões em criptomoedas da InDeal Investimentos

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) acaba de anunciar a apreensão de cerca de US$ 24 milhões em moeda virtual, em nome do governo brasileiro. A apreensão ocorreu como desdobramento da investigação do esquema de fraude em larga escala praticado pela InDeal Investimentos.

A apreensão ocorrida nos Estados Unidos foi conseguida por meio de um pedido oficial do Brasil, graças a um acordo de cooperação existente entre os dois países para assistência jurídica em matéria penal. A corretora de criptos que detinha as carteiras, cujo nome não foi revelado, cooperou com as autoridades policiais no caso.

No caso da InDeal, que teve grande repercussão após sua revelação em 2019, teriam sido obtidos mais de US$ 200 milhões (o que corresponde a mais de R$ 1 bilhão) de milhares de vítimas de todo o Brasil. Trata-se do maior esquema de fraude envolvendo criptomoedas de que se tem notícia no país, até o momento.

Artigos relacionados

O esquema de fraude está sendo investigado, atualmente, pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Egypto. Essa operação foi lançada em maio de 2019 para investigar instituições financeiras que operam sem autorização do Banco Central, além de outros crimes, como peculato financeiro e lavagem de dinheiro. A InDeal não era o alvo único da operação, mas a descoberta do esquema, pelos altos valores envolvidos, acabou dominando as páginas policiais.

As autoridades americanas estão agora trabalhando com as autoridades brasileiras, com participação do FBI e de outras entidades, para restringir o acesso aos fundos em criptomoeda apreendidos e preservá-los para destinação aos processos de confisco pendentes no Brasil. O objetivo é que os investidores impactados no esquema de investimento fraudulento possam receber alguma compensação.

Morador do RS é acusado de liderar o esquema

InDeal Investimentos

Ao longo dos últimos meses, desde o início da Operação Egypto, diversas pessoas foram acusadas de participar do esquema da InDeal. O principal acusado, no entanto, é Marcos Antonio Fagundes, um morador do município de Campo Bom (RS), que estaria na posse ou controle dos milhões em moeda virtual apreendidos nos Estados Unidos.

Fagundes está sendo acusado de diversos crimes e outros ilícitos definidos pela legislação brasileira. Isso inclui, por exemplo, ter operado uma instituição financeira sem autorização legal – o que estava no foco das investigações, inicialmente. Outras acusações contra ele são as de apropriação indébita e lavagem de dinheiro, bem como de violações às leis de valores mobiliários. Fagundes foi o fundador da InDeal, empresa que tinha sede em Novo Hamburgo (outra cidade gaúcha, próxima a Campo Bom), mas negociava com corretoras estabelecidas nos Estados Unidos, Japão, China e Malásia.

Como funcionava o esquema da InDeal

De acordo com documentos do Departamento de Justiça americano, os processos criminais contra Fagundes descrevem uma operação complexa e de grandes proporções. Ele e seus associados captavam grandes somas de capitais de clientes espalhados por todo o Brasil, adquiriam criptomoedas (Bitcoin) e repassavam alguns valores de volta aos investidores, mas permaneciam com a maior parte em suas próprias carteiras.

A operação concluiu que os estelionatários teriam feito promessas falsas aos investidores, iludindo-os sobre a forma como os seus fundos eram investidos e as taxas de retorno que eles teriam. Não à toa, quando o caso estourou, todos os investidores que tentaram sacar seus fundos da empresa ficaram de mãos abanando, já que os golpistas sumiram.

Desde então, milhares de vítimas têm acessado a justiça e acompanhado as investigações no Brasil (e também em outros países) com a esperança de reaver pelo menos parte do que haviam investido. As vítimas incluem residentes de diversas partes do Brasil, com destaque para os gaúchos, já que o esquema, no começo, espalhou-se rapidamente (no boca a boca) pelo estado.

A perspectiva de lucro fácil e o desconhecimento sobre o mercado de criptos foram os fatores principais para que o esquema da InDeal obtivesse proporções tão grandes. Ou seja, é mais um caso que serve de alerta para todos os que pensam em investir nesse mercado.

Ads

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Importante ter notícias assim sempre em vista. Hoje em dia, a gente acaba achando que é tudo tranquilo só pq um conhecido disse que faz e tá tudo certo… No Brasil também rolam uns golpes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo