Corretoras de CriptomoedasCorretoresCriptomoedasInvestimentos

Como escolher entre corretoras de criptomoedas no Brasil?

Quando surgiu, o mercado de criptomoedas parecia algo distante da maioria das pessoas e que talvez não vingasse. Mas as criptomoedas vieram para ficar e, melhor do que isso, têm se valorizado a cada ano que passa.

E no Brasil, não haveria de ser diferente. Mesmo que seja, ainda, um mercado de tamanho modesto, se comparado ao de outros países, já são inúmeras as  corretoras atuando no país. A questão agora é: como decidir entre as variadas corretoras que existem? 

Vamos apresentar como funcionam as corretoras de criptomoedas do Brasil e tentar ajudar os investidores a decidir, a partir dos seus critérios, quais as que se encaixam melhor nos seus investimentos. Lembrando que é sempre importante conhecer bem a sua corretora de criptos antes de investir, para evitar cair em golpes ou ter problemas de segurança. 

Como funcionam as corretoras de criptomoedas no Brasil?

Apesar de chamarmos elas de corretoras, o nome mais popular para estas instituições no mercado financeiro é outro. As chamadas exchanges são intermediárias entre quem busca comprar e vender criptoativos. 

Apesar de a grande sacada das criptomoedas ser, inicialmente, a possibilidade de negociar sem intermediários, as corretoras ou exchanges acabaram se tornando necessárias para a segurança das transações.

Porém, é preciso avaliar que, diferentemente das corretoras de valores, as exchanges não realizam transações entre si. Então, ao escolher uma corretora, assegure-se de que ela tem uma boa carteira de clientes com quem você possa negociar.

Como escolher uma corretora de criptomoedas no Brasil? 

Uma vantagem importante de escolher uma corretora no Brasil é poder comprar as criptomoedas utilizando valores em reais. O investidor não precisa, nesse caso, comprar dólares ou qualquer outra moeda. Com o seu dinheiro em reais, já pode começar a investir em criptoativos. 

No entanto, apesar de ser, hoje, um mercado em franco crescimento, o Brasil ainda conta com opções limitadas de criptomoedas. Portanto, se você quiser investir em outras que não sejam tão tradicionais, talvez tenha de procurar uma corretora internacional. Ainda assim, provavelmente verá vantagens em uma corretora no Brasil. 

A primeira coisa que um investidor deve saber, ao escolher uma corretora, é se ela trabalha com a criptomoeda que se pretende adquirir. Em seguida, deve se dedicar a questões técnicas, como: Quais as taxas da corretora? Ela tem um histórico confiável? Como funciona a abertura de conta? Como ela é avaliada?

O que pode facilitar a vida dos investidores é que hoje, através da internet, é bastante fácil encontrar avaliações das mais diversas corretoras. Através de páginas e sites como o Reclame aqui, o investidor pode ter uma boa ideia da qualidade do trabalho oferecido pelas variadas exchanges de criptomoedas do Brasil. 

Por isso, antes de escolher qualquer corretora de criptomoedas, busque conhecer as suas opções. Empresas com maior liquidez e tempo de mercado, costumam ser mais seguras e confiáveis.

Já escolhi minha corretora, e agora?

Mesmo depois de muito procurar a corretora ideal, é comum que alguns investidores ainda tenham dúvidas. Por isso, é bastante comum que os traders escolham mais de uma corretora para testar antes de começarem a investir propriamente. Normalmente, as inscrições nas corretoras do Brasil são gratuitas, o que permite esse teste. 

Esse tipo de testagem é muito importante, pois permite ao investidor já ter uma ideia do funcionamento da plataforma. Desde a inscrição o investidor já pode ter uma boa ideia da qualidade do serviço. No Brasil, para garantir a segurança, é bastante comum que as corretoras, além do cadastro, peçam cópias de documentos de identidade.

Portanto, apesar de parecerem detalhes simples, a segurança e a fluidez da utilização da plataforma já dão grandes pistas do trabalho oferecido, considerando que estas duas questões são a base das negociações de criptomoedas, que acontecem exclusivamente online.

Teste Final

Após testar as funcionalidades da plataforma, o investidor ainda precisa estar atento a outros detalhes. Especialmente, quanto à quantidade de negociações diárias realizadas pela corretora. Não adianta ter um lugar seguro e funcional se não houver outros clientes negociando criptomoedas. 

Além do volume de negociação, é importante que o investidor saiba quanto a corretora cobra de spread médio, ou seja, quanto ela cobra por cada criptomoeda em relação ao preço do mercado. Antes de tomar qualquer decisão, o investidor já deve também estar atento a como funcionam as cotações no mercado das corretoras de criptomoedas no Brasil.  
Segundo a maioria dos analistas do mercado, para que o investidor não venha a perder dinheiro em suas negociações, o recomendado seria um spread de, no máximo, 5%. No entanto, fique atento para spreads muito baixos, pois eles podem indicar algum problema também!

Ads

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo